sábado, 7 de fevereiro de 2015

O mistério envolvendo a figura do Papa João XX: fato ou farsa?!

Ao consultar com bastante atenção a lista sucessória de papas, constata-se que nunca houve nenhum João XX, nem como papa, nem como antipapa. Esse é motivo de uma série de teorias conspiratórias envolvendo o feminismo e a Igreja católica; tema de filmes, seriados, romances e livros de história teológica. De acordo com os especialistas no tema, se tivesse existido, João XX teria tido que governar, logicamente, entre os pontificados de João XIX (1024 a 1032) e João XXI (1276 a 1277); muito provavelmente este último deveria ser considerado João XX, e os seus sucessores com nome João teriam sido igualmente renumerados, o que faz aumentar ainda mais o número de teorias contra o catolicismo.


De acordo com vaticanistas, a ausência do Papa João XX da lista dos papas explica-se por um erro de contagem dos papas João que o precederam. Assim, alguns historiadores papais dos séculos XI e XII julgaram ter existido um papa chamado João entre o Antipapa Bonifácio VII (984 a 985) e o Papa João XV (985 a 996); assim sendo, as séries numéricas dos papas João XV a João XIX foram incorretamente numeradas de XVI a XX.

Foi com base nesse pressuposto que o português Pedro Hispano, ao ser eleito para o trono de São Pedro, adotou o nome de João XXI; logicamente, os dois remanescentes papas chamados João (João XXII e João XXIII), foram assim também numerados devido a essa confusão de terem existido vinte Papas João antes do papa português.


Desta maneira, para os vaticanistas, o Papa João XX foi desta forma extirpado da lista dos papas, mas como a numeração dos subsequentes já se encontrava firmemente estabelecida desde há séculos (tendo todos eles assumido o numeral respectivo a quando da subida ao sólio pontifício), é pouco provável que qualquer retificação possa vir a ser feita.

Teorias da conspiração em cena...
Essas explicações não são suficientes para explicar um erro tão grande que vem se perpetuando há muitos séculos. Para alguns conspiracionistas, essa descontinuidade na numeração explicaria a existência da hipotética Papisa Joana, que teria governado sobre o Vaticano como um homem, sob o nome de João, justamente no período entre os papas João XIX e João XXI. A Igreja, entretanto, nega tais informações e dizem que a história da suposta papisa foi inventada na Alemanha pré-Reforma justamente para macular a imagem do catolicismo.