sábado, 9 de agosto de 2014

Calçada dos Gigantes: um monumento natural que parece feito pelo homem...

A Calçada dos Gigantes é a designação dada a um conjunto de cerca de 40 mil colunas em forma de prisma, feitas de basalto, encaixadas de modo como se formassem uma enorme calçada de pedras gigantescas, formadas pela disjunção prismática de uma grande massa de lava basáltica resultante de uma erupção vulcânica ocorrida há cerca de 60 milhões de anos. A formação está localizada na costa da Irlanda do Norte, a cerca de três quilômetros a norte da vila de Bushmills. Foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1986.

Mas o que atrai na Calçada dos Gigantes? Justamente a forma como ela foi concebida pela natureza, de modo que parece ação humana. Os enormes blocos em forma angular, encaixados de maneira sistemática, faz com que a Calçada dos Gigantes seja um assunto interessante para os teóricos dos deuses astronautas. Observe as fotos abaixo e comprove se realmente não parece uma obra de engenharia humana essa formação rochosa.




A Calçada dos Gigantes fica numa área de basalto compacto. A atividade vulcânica nessa área fez a rocha derretida subir através de fendas no calcário, com temperatura média de mais de mil graus. Quando entrou em contato com o ar, ela se resfriou e se solidificou. A rocha derretida, ou magma, é composta por muitos elementos químicos e por isso pode criar vários tipos de rocha. O tipo de rocha formado na área do contexto em questão é o basalto.

O magma se encolhia à medida que se resfriava lentamente e, por causa de sua composição química, fendas hexagonais regulares se formaram na superfície. Enquanto o magma continuava a se resfriar por dentro, as fendas desciam gradualmente, formando a grande quantidade de colunas de basalto semelhantes a lápis.

A lenda envolvendo a Calçada...
Segundo uma lenda irlandesa, um gigante chamado Finn McCool queria enfrentar numa luta um gigante escocês chamado Benandonner, mas havia um problema: não existia uma embarcação com tamanho suficiente para atravessar o mar e levar um ao encontro do outro. A lenda diz que McCool resolveu o problema construindo uma calçada que ligava os dois lados, usando enormes colunas de pedra. Benandonner aceitou o desafio e viajou pela calçada ate à Irlanda. Ele era mais forte e maior do que McCool. Percebendo isso, a esposa de Finn McCool, de forma muito perspicaz, decidiu vestir seu marido gigante como um bebê. Quando Benandonner chegou à casa dos dois e viu o bebê, pensou: “Se o bebê é deste tamanho, imagina o pai!”, e fugiu correndo de volta para a Escócia. Para ter certeza de que não seria perseguido por Finn McCool destruiu a estrada enquanto corria, restando apenas as pedras que agora formam a Calçada dos Gigantes.


Características básicas do local...
Milhares de colunas verticais de pedras de até 6 metros de altura, cada uma de 38 a 51 centímetros de largura, com topos planos e seis lados. Por serem tão uniformes, seus topos parecem se encaixar como favos. Cerca de um quarto das colunas tem cinco lados e também há algumas com quatro, sete, oito e até nove lados. Por causa dessa perfeição geométrica é que algumas pessoas acreditam que a Calçada tenha sido obra mecânica em algum ponto da Idade do Bronze na Europa do norte.

Finalmente, a Calçada é composta por três partes. A grande Calçada, a maior, começa na praia ao sopé dos rochedos. Se parece mais com um conjunto desordenado de enormes degraus, alguns com seis metros de altura. À medida que se estende em direção ao mar, dá para entender facilmente por que razão tem o seu nome: é devido aos seus topos parecidos com favos de mel, que logo se nivelam, lembrando uma rua pavimentada com pedras arredondadas, que varia de vinte a trinta metros de largura.

No decorrer dos anos pessoas deram nomes a uma dessas formações, duas delas tem o nome de instrumentos musicais. Uma é chamada de “Órgão”, porque suas colunas compridas e regulares lembram os tubos de um órgão gigante, a outra, a “Harpa do Gigante”, tem enormes colunas arqueadas que descem até o litoral. Outros nomes também trazem a ideia de gigantes habitando a região. Por exemplo, o Tear do Gigante, Caixão do Gigante, Canhões do Gigante e Olhos do Gigante. Existe até mesmo a Bota do Gigante, com cerca de dois metros de altura e algumas pessoas calculam que o lendário gigante provavelmente teria usado essa bota estima-se de 16 metros de altura.


Teoria dos deuses astronautas...
A geologia já explicou em experimentos laboratoriais a natureza da Calçada dos Gigantes. O que seria uma “natureza natural”. Ou seja, obra do acaso. Entretanto, teóricos dos deuses astronautas afirmam que a lenda dos gigantes pode esconder algo que está no passado muito remoto da Grã-Bretanha, como a forma de como os povos primitivos da Inglaterra fizeram Stonehenge – carregar pedras de enormes toneladas com tecnologia supostamente deficitária.

Segundo os teóricos dos deuses astronautas, a lenda diz que a Calçada foi construída para o encontro de dois gigantes que bem poderiam ser dois seres de outras galáxias, pois do outro lado da Calçada, já na Escócia, há algumas formações rochosas parecidas às da Calçada irlandesa. Ou seja, para alguns destes estudiosos é impossível na natureza haver uma construção tão perfeita geometricamente, parecendo o chão de uma praça.

De acordo com estes estudiosos em sua versão, a Calçada poderia ter sido construída no período de 1200 antes de Cristo, quando Stonehenge também era construída com um propósito obscuro de observar os céus. Assim sendo, a Calçada dos Gigantes teria sido uma colaboração humana para o encontro de dois grupos que veneravam supostos deuses rivais.

No entanto, como já foi dito, a geologia já trabalhou esse esquema de formação rochosa, que até pode ser encontrada em outras partes do mundo como no Japão, África do Sul, Chile e Canadá. De obra humana, ali, não há nada a não ser a transformação daquela bela paisagem em status permanente de proteção.