sábado, 26 de abril de 2014

Você conhece a história do disco voador de Itatira?! Fato ou farsa?!

O disco voador de Itatira foi um acontecimento já considerado clássico entre os ufólogos e investigadores do ramo no Brasil, ocorrido na pequena cidade de Itatira, no interior do Ceará (mapa abaixo). Chegou a render uma série de reportagens especiais no canal a cabo Globo News, e até hoje rende um amplo debate com versões diferentes entre céticos, ufólogos e especialistas em aeronáutica.


No mês de novembro de 2008, alguns moradores diziam ter visto um objeto voador não-identificado na cidade de Itatira, no sertão do Ceará, a 176 quilômetros da capital do estado, Fortaleza. Os moradores descrevem da mesma maneira: os objetos sem movem rápido, irradiam uma luz muito forte, provocam calor enorme e não emitem barulho algum.

As aparições, que se estenderam de 2008 a 2009 em Itatira já repercutiram em mais de 200 relatos extraordinários da presença de Ovni’s no pequeno município. Dezenas de moradores presenciaram o que relataram como “uma grande bola parecida com a lua” que pairava sob a serra da comunidade de Mourão, a poucos metros do centro da cidade. Os moradores da comunidade também testemunharam o objeto que permaneceu por alguns minutos “fixo” no céu e depois “desceu” escondendo-se atrás da serra. Muitos chegaram a tirar fotografias em celulares ou câmeras do que viram na noite de terça-feira, 27 de janeiro de 2009.


Não acostumados ao aparecimento de supostos objetos voadores não-identificados, alguns moradores mais antigos chegaram a dizer que seria o sinal do final dos tempos, com a lua fazendo movimentos estranhos próximos à Terra. Com as aparições e histórias, a cena passou a se repetir em outras localidades deixando as pessoas temerosas. Os moradores permaneciam com as luzes dos veículos apagadas, pois acreditavam que atraiam a atenção dos supostos discos voadores. Famílias nas áreas mais afastadas não mais saiam à noite para trabalhar em suas plantações temendo os avistamentos.

Muitos moradores se recordaram da mídia e repercussão de casos clássicos da ufologia no Brasil, como os casos de Mirassol, a Operação Prato, dentre outros. O principal medo era que abduções pudessem acontecer e esses discos voadores mudaram totalmente a rotina da cidade de Itatira: aulas à noite foram canceladas, as igrejas deixaram de realizar missas e cultos no período noturno, as pessoas evitavam sair de casa etc. Alguns pesquisadores começaram a falar em histeria coletiva.


A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) passou a fazer investigações sobre o acontecimento na região do sertão cearense; junto a isso, ufólogos faziam investigações paralelas às oficiais. Chegando diversos ufólogos, professores de universidades e turistas interessados em acampar e observar as “naves”, levando consigo uma fotografia daquilo que agora tornou-se natural e comum à maioria dos habitantes da cidade.

O então prefeito José Ferreira Matheus na época entrou em contato com autoridades e especialistas para tentar explicar os fenômenos que, segundo especialistas em ufologia, devem continuar. Em Itatira já foram registradas 273 aparições de 21 de novembro de 2008 até a data de 08 de abril de 2009.