terça-feira, 15 de abril de 2014

Você conhece a história de Nandana, uma possível telepata?! Fato ou farsa?!

Na cidade de Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, Nandana Unikrishnan (foto abaixo), de origem indiana, nascida em 2003, autista e portadora da Síndrome de Savant (pessoas que apresentam habilidades extraordinárias, mas sérios transtornos mentais) chamou atenção dos médicos, psicólogos e pedagogos de todo o mundo quando uma reportagem sensacionalista revelou uma possível habilidade para a telepatia. Ou seja, ao que tudo indica, Nandana pode ler a mente da sua mãe.


Segundo o histórico, a extraordinária faculdade da garota começou a se manifestar em 2011. A menina começava a manifestar uma espécie de pré-ciência (conhecimento prévio) daquilo que sua mãe estava pensando ou, ainda, prestes a falar ou fazer. A princípio, os pais consideraram que as inúmeras vezes nas quais a menina antecipava palavras e gestos maternos eram mera coincidência. A mãe de Nandana, Sandhya conta: “Ela pode sentir minhas emoções e ler meus pensamentos. Ela vinha para mim e me dizia o nome da comida que eu estava pensando em preparar. Se eu e meu marido decidíamos levá-la a algum lugar ela se antecipava e reagia de acordo ou não”.

Nandana foi diagnosticada autista quando tinha dois anos de idade. Mais especificamente ela tem um Transtorno do Espectro Autista (ASD) e Síndrome de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Por outro lado, a Síndrome de Savant, encontrada em mais ou menos uma em cada 10 pessoas com autismo, é um distúrbio psíquico cujos portadores possuem uma grande habilidade intelectual aliada a um déficit de inteligência – paradoxalmente. Tais habilidades são sempre ligadas a uma memória extraordinária.

Sandhya continua a explicar: “No início era muito difícil para mim para ensiná-la o conceito dos objetos. Eu tive que lutar muito para fazê-la entender o quê é um copo. Mas, nestes dias (depois que a telepatia começou a se manifestar)  é muito fácil fazê-la aprender alguma coisa. Ela é boa em matemática. Mas às vezes eu sinto que quando ela faz o seu dever de casa rápido, é porque estou pensando naquilo”.

Nandana tem problemas de fala. Tem muita dificuldade para pronunciar as palavras com clareza. Por isso, os pais demoraram ainda mais para crer na ligação telepática entre mãe e filha. Então, em janeiro deste ano de 2013, Nandana aprendeu a usar o teclado do computador.


A mãe da menina ainda fala: “Eu a ensinei a digitar. Agora, se eu pedir que escreva o que eu estou pensando, ela incrivelmente pode fazer isso. Às vezes ocorrem erros de ortografia e ela ainda não entende bem os conceitos de pontuação. Se eu disser ‘ponto’ ou ‘espaço’ em minha mente, ela digita a palavra ‘espaço’, por exemplo, ao invés de colocar a separação entre os vocábulos”. Sandhya Unikrishnan não se encaixa no padrão comum de mãe de uma criança com necessidades especiais. Depois que percebeu que Nandana era autista, ela foi estudar e fez um curso superior de Análise Comportamental Aplicada com duração de dois anos e pós-graduou-se em Reabilitação Socialmente Integrada.

No final de fevereiro de 2013, os pais a levaram para uma Clínica de Orientação da Criança onde o caso foi analisado por uma equipe de especialistas entre os quais um psiquiatra especializado, um assistente social, um educador também dedicado às crianças portadoras de autismo e síndromes conexas e, ainda, um grupo de enfermagem. Todos testemunharam as habilidades telepáticas de Nandana. O Jornal Khaleej Times recebeu uma cópia do certificado emitido pelo Dr. Jeena Fiji no qual o médico testemunha a capacidade de Nandana de captar os pensamentos, desejos e intenções de sua mãe.

De acordo com os pais da menina, o principal objetivo é atentar o mundo aos efeitos ainda classificados como paranormais para a ciência e para a sociedade, como a telepatia, que acabou sendo cientificamente comprovada com uma taxa de 100% de acertos entre mãe e filha. Para a família da telepata, é imprescindível que a ciência abra um pouco mais “sua mente” para assuntos que ainda não seriam tão bem vistos.


Alguns psicanalistas consultados pela reportagem do jornal disseram que alguns portadores da Síndrome de Savant possuem habilidades incríveis, como memória fotográfica, memória musical, mas nenhum ao nível de telepatia. Entretanto, muitos destes profissionais especializados afirmaram que já ouviram falar em experiências extrassensoriais em portadores dessa síndrome.

Alguns testes...
Na clínica para os testes com os especialistas, um poema classificado como “Nível 2” foi entregue à mãe da menina. Esta leu o poema mentalmente e Nandana digitou o poema inteiro lendo a mente da mãe. Depois, um papel com um número de seis dígitos escritos foi entregue a Sandhya. E Nandana reproduziu o número em seu teclado. Outro número foi dado a Sandhya que, desta vez foi separada da filha, em outro aposento. E a menina reproduziu o número mesmo assim, provando que podia ler a mente de sua mãe à distância.