quinta-feira, 20 de março de 2014

Casa Sagrada de Loreto: fato ou farsa?!

O Santuário da Santa Casa de Loreto é um lugar de peregrinação católico situado no município italiano de Loreto. É considerado o mais importante da Itália depois da Cidade do Vaticano. Foi construído perto da casa onde, segundo a tradição medieval, o Arcanjo Gabriel anunciou à Virgem Maria a maternidade divina e onde viveu a Sagrada Família de Nazaré, casa essa miraculosamente transportada por anjos.


A lenda da casa...
Por volta do século 4, quando Santa Helena (mãe do Imperador Constantino, que colocou o catolicismo como religião oficial do Império Romano) foi a Nazaré, teria mandado construir uma igreja no local onde se encontrava a casa da Sagrada Família. A tradição da época conta também que foi nessa casa que Maria foi educada e cresceu na companhia dos seus pais, Santa Ana e São Joaquim.

Por volta do século 13, os lugares santos cristãos foram ameaçados pelos sarracenos e a igreja construída por Santa Helena foi totalmente destruída. A mesma sorte estaria reservada à casa de Nazaré. Segundo a lenda, Deus fez miraculosamente transportar a Santa Casa para a Croácia, para as localidades de Trsat e Rijeka, para o Monte Rauniza, com a ajuda de anjos.

Este ideia surgiu no pontificado do Papa Nicolau 4. Na casa, foi encontrada uma estátua que representava Nossa Senhora coroada e tinha o Menino Jesus ao colo. Ainda segundo a tradição, a Santa Casa foi novamente transportada pelos anjos para Itália, onde foi encontrada por uma senhora chamada Lorette em 10 de dezembro de 1294. Foi daí que provém a história de Nossa Senhora de Loreto. As litanias loretanas foram compostas pelo Cardeal Savelli em memória deste acontecimento.


A herança da Casa...
Os habitantes da Croácia honram desde há séculos esta tradição mariana organizando peregrinações ao santuário de Loreto e consagrando igrejas a Maria, mãe de Jesus, no seu próprio país. Os papas Pio 2, Paulo 2, Sixto 4, Clemente 7, Leão 10 e Sixto 5 estão entre os primeiros pontífices a reconhecer oficialmente este prodígio. A história da Casa interessou muitas figuras cristãs durante e depois da Renascença, especialmente Erasmo de Roterdã, René de Bastarnay, Louis d’Arpajon e Battista Spagnuoli. René Descartes foi peregrino em ação de graças pelo sonho que conta em “Olympiques”, e que está na origem da sua mathesis universal. Loreto foi elevada a cidade mariana e sede de diocese e tornou-se um dos mais importantes locais de peregrinação da Europa.

Basília da Santa Casa de Loreto...
A basílica é uma estrutura do gótico tardio continuada por Giuliano da Maiano, Giuliano da Sangallo e Bramante. A espantosa fachada da igreja foi construída durante o pontificado de Sixto 5, que fortificou Loreto e lhe deu os privilégios de vila em 1586; a sua colossal estátua ergue-se no meio do lanço de escadas em frente. Sobre a portaria principal está uma estátua de bronze, à escala natural, da Virgem com o Menino de Girolamo Lombardo; as três soberbas portas de bronze foram feitas em finais do século 15, também por Lombardo, seus filhos e alunos, entre eles Tiburzio Vergelli, que também fez a caligrafia em bronze no interior. As portas e candelabros da Santa Casa são dos mesmos artistas.

O sino principal, apresentado por Leão 10 em 1516, pesa 11 toneladas. O interior da igreja tem mosaicos de Domenichino e Guido Reni, e outras obras de arte, incluindo estátuas de Raffaello da Montelupo. Nas sacristias de cada lado do transepto do lado direito há frescos, à direita de Melozzo da Forli, e à esquerda de Luca Signorelli. Em ambos há belas intarsias. A basílica como um todo é uma obra prima de colaboração que envolveu várias gerações de arquitetos e artistas.


Sobre a Santa Casa...
A maior atração do local é a Santa Casa de Loreto, o centro de peregrinação desde o século 14 e local muito popular entre os turistas, mesmo os não-católicos. É uma edifício de um só piso, de pedra, com 8,5 metros de largura por 4 metros de profundidade e 4 metros de altura; tem uma porta no lado norte e uma janela no lado ocidental, e um nicho que contém uma pequena imagem negra da Virgem Maria com o Menino Jesus, em cedro-do-líbano, ricamente adornada com joias.


Sobre a “verdadeira história” da Casa Sagrada”...
As recentes descobertas da arqueologia e da historiografia ajudaram a solucionar o famoso mistério da Casa Sagrada de Loreto. Será que a casa realmente pertenceu à Sagrada Família? Como uma casa inteira foi transportada do Oriente Médio para a Europa? Um exército de anjos a transportou pelos céus como a teoria dos deuses astronautas? Bem, os estudos de arqueólogos, antropólogos, teólogos e histioriadores ajudou a entender isso tudo.

De acordo com as pesquisas mais recentes, a casa realmente pertenceu a uma família de Israel do início da Era Cristã, pois as pedras e madeiras utilizadas nela são características do local, bem como formação arquitetônica.

Já a questão do transporte miraculoso da casa não tem tantos milagres assim. Registros históricos da Croácia, onde a casa ficou primeiro, apontam que ela foi transportada pelos Templários logo depois de algumas das Cruzadas medievais dos cristãos contra os muçulmanos na região onde hoje fica o Estado de Israel. Inclusive há registros de que a Casa Sagrada tenha mudado de lugar duas vezes na Croácia, antes de ser levada para a Itália como presente de um membro de uma família muito rica de novos comerciantes – a ascensão da burguesia e do comércio.

Com isso, a questão histórica fica mais prática do que milagrosa. A tradição fala em exército de anjos celestiais protegendo a casa, mas a história aponta outro exército, desta vez de homens de fé que acreditavam no poder místico daquela, que poderia não ser qualquer casa. Por isso ela foi parar no centro do comércio europeu da época, a potência do Mediterrâneo.