quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Você já ouviu falar nos crânios aliens?! E se forem somente casos de macrocefalia?!

Alguns crânios em exposição em museus do mundo causam espanto e aumentam as teorias de conspiração envolvendo a possível visita de aliens aqui no planeta Terra. Além destes crânios, o mais bizarro é o que alguns ufólogos chamam de “bebês aliens terráqueos”, ou seja, criaturas aliens que teriam nascido neste planeta e não se adaptado ao clima e ao ar, vindo a morrer e aqui deixadas. Para os céticos, há outra explicação muito mais simples para estes dois casos.


Os crânios alienígenas e os bebês aliens encontrados...
Em várias escavações realizadas em diversas partes do mundo, desde o México até o interior da África, paleontólogos e arqueólogos encontraram muitos crânios de seres humanoides em formações “estranhas”. As formas variam muito, mas todas espantam pelo tamanho do cérebro, que seria relativamente e comparativamente bem maior dos humanos em suas respectivas idades – quando bebês e quando adultos.

No Egito, por exemplo, temos exemplos de crânios adultos alongados. No México, em outro caso, temos os bebês aliens. Nas fotos abaixo mostramos os exemplos destes dois tipos de crânios que, de acordo com os ufólogos, são provas extremamente concretas de que os “deuses astronautas” estiveram na Terra e fizeram experimentos aqui, inclusive tentando a colonização.



Para os antropólogos, o caso dos crânios adultos seria relativamente fácil de explicar. São questões de padrões de beleza e hierarquia nestas sociedades, como as mulheres deformadas com o pescoço alongado no Sudeste Asiático, ou as mulheres da China que tinham os pés deformados pelo uso de pequenos sapatos de madeira. Assim, o alongamento do crânio seria uma construção social de poder, o que ainda ocorre em algumas tribos do centro da África.





Alguns ufólogos e teóricos dos deuses astronautas explicam que a ciência está andando de mãos dadas com as grandes instituições e governos para tentarem explicar de maneira supostamente racional o que não é verdade: que são seres humanos com certa deformidade ou questões culturais (comparando-se aos pescoços alongados). Para estas pessoas, tais crânios são provas suficientes de que os aliens existem e estiveram aqui, e que “fomos criados à imagem e semelhança deles” – parafraseando o que está na Bíblia.

Trata-se de uma questão bastante delicada e controversa. Outro grupo de ufólogos dizem que é preciso termos mais provas, e não somente crânios deformados, e que a quantidade é ínfima próxima à visualização e grandiosidade que os teóricos dos deuses astronautas dão à questão. Assim, para este grupo, não basta somente um grupo de crânios isolados em quantidades pequenas, mas corpos completos – o que é muito difícil de termos, a não ser no caso do “bebê alien mexicano”.


O que os céticos explicam sobre isso: a medicina como ferramenta...
Muitos céticos e estudiosos do assunto usam a medicina como ferramenta de explicação para mais de 90% dos casos; os outros 10% seriam questões culturais do âmbito da antropologia. A explicação seria uma doença conhecida como macrocefalia. Você já ouviu a falar nela?!


A macrocefalia (do grego “makrós”, “grande” e “kefále”, “cabeça”) é um termo aplicado para designar uma cabeça anormalmente grande. É uma alteração na qual a circunferência da cabeça é maior que a média correspondente à idade e o sexo do bebê ou do menino. É um termo descritivo mais que de diagnóstico e é uma característica de uma variedade de transtornos – ou seja, é sintoma ou consequência de uma enormidade de doenças conhecidas.

A macrocefalia também pode ser hereditária. Ainda que uma forma de macrocefalia possa relacionar-se ao retardo mental, em aproximadamente a metade dos casos o desenvolvimento mental é normal – portanto, não afeta processos de inteligência e de aprendizagem. A macrocefalia pode ser causada por um cérebro agrandado ou hidrocefalia. Pode ser associada a outros transtornos tais como o enanismo, a neurofibromatose e a esclerose tuberosa.


Para grande parte dos céticos, os crânios de supostos bebês alienígenas seriam essas malformações cranianas. Por ser um sintoma raro de doença, este é o motivo de encontrarmos poucos crânios de aliens “crianças”. De acordo com as estatísticas médicas, a cada 300 mil nascimentos, um pode desenvolver essa característica. Mesmo assim isso não é suficiente para muitos estudiosos, que falam que os céticos são pessoas que andam de braços dados com as estruturas de poder e têm mente fechada para novas teorias, como a principal delas: a teoria dos deuses astronautas.