quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Você conhece a história dos estranhos rostos de Bélmez?! Fato ou farsa?!

As chamadas “faces de Bélmez” é o nome de um suposto fenômeno paranormal, que aconteceu (e ainda acontece) na Espanha, em uma casa particular, na localidade de Bélmez de la Moraleda; os primeiros rostos começaram a aparecer no assoalho da cozinha em 1971, quando uma criança reparou vários rostos no piso de concreto. Com o tempo, os rostos se espalharam pela casa: cozinha, banheiro, sala, quartos e também em algumas paredes.


Mesmo com faxinas frequentes, os supostos rostos apareciam e desapareciam frequentemente. Em alguns casos, quando a família detentora da casa tentava faxinar os rostos, eles ganhavam aparência de tristeza como se tivessem chorando ou pedindo clemência. Foi a partir daí que os moradores ficaram assustados e pediram ajuda a religiosos e a um grupo de parapsicólogos.

Para os estudiosos, este fenômeno é considerado o mais bem documentado sobre o gênero e, sem dúvida, o mais importante fenômeno paranormal do século 20. Alguns residentes de Bélmez acreditam mesmo que este fenômeno não foi criado por “mãos humanas”, porém, alguns pesquisadores consideravam a hipótese de ser um fenômeno de fotografia espírita, causado inconscientemente pela própria dona da casa, María Gómez Cámara.


Com o tempo, os rostos começaram a atrair turistas, pesquisadores e curiosos até a casa de María Gómez; quanto mais ela tentava remover as faces, mais delas apareciam. Alguns historiadores locais afirmam que onde a casa está construída era um cemitério medieval de ciganos – que naquela época não eram considerados cidadãos, e muitos foram mortos durante a Santa Inquisição, que foi extremamente grave no território espanhol durante os século 16 e 17.

Entretanto, para os pesquisadores céticos, este evento não passa de uma mera farsa fabricada pela família através de produtos químicos, como ácidos. Desde que as faces de Bélmez foram afixadas na casa, no cal de cimento, os cientistas foram capazes de analisar as alterações moleculares, que teve lugar em tal massa de concreto. Céticos têm realizado extensas análises sobre os rostos, para demonstrar a falseabilidade que foi envolvida este fenômeno. Abaixo temos a residência de Belméz, que hoje abriga um museu sobre o assunto.


Em novembro de 2004, para espanto dos cientistas céticos, María Gómez morreu aos 85 anos. Mesmo assim os rostos e imagens continuam a aparecer misteriosamente na residência mais famosa do pequeno vilarejo de Bélmez de la Moraleda. Enquanto isso, inúmeros cientistas – céticos e crédulos – tentam descobrir a origem destas faces em uma casa que se tornou um museu.