sábado, 1 de junho de 2013

Caldeirão: considerações sobre a peça fundamental das bruxas...

Em qualquer filme de Hollywood, ou em qualquer conto infantil onde houver uma bruxa, ele sempre estará lá: o caldeirão. A figura se tornou sinônimo de bruxaria, de criação de poções mágicas e mirabolantes. Enfim, o caldeirão faz parte da cultura pop ligada à figura da bruxa. No post de hoje vamos fazer algumas considerações importantes sobre este utensílio doméstico que virou simbologia de ocultismo.


1. Um caldeirão (palavra originária do latim “caldarium”, que significa “banho quente”) é uma panela grande, usada para cozinhar grandes quantidades de comida sobre uma fogueira;

2. O caldeirão era muito usado até o século 18 para cozinhar grande quantidade de alimentos durante festividades, banquetes, hospitais etc. Em geral, um caldeirão normal tinha a capacidade de até 20 litros, mas podemos encontrar em museus objetos maiores ou menores, dependendo do tamanho daquela corte ou daquela família;

3. O caldeirão tem a forma esferoide, com fundo chato (para se apoiar no chão ou na mesa), com alças fortes para poder aguentar o peso de tanta comida. De modo geral era usado para o cozimento de sopas ou mingaus, uma vez que a alimentação do povo durante a Idade Média europeia era muito pobre e sem tantas variedades, inclusive para os reis. Por conta disso, ter caldeirão em casa era muito comum: bastava pôr água na fogueira e inventar uma sopa ou um mingau para alimentar a família;

4. Na ficção, os caldeirões são frequentemente usados por feiticeiras. Isso porque os contos foram escritos ou reproduzidos oralmente na Europa medieval e moderna, quando o seu uso era muito comum nas cozinhas, principalmente entre os moradores das florestas (mulheres consideradas pagãs e bruxas eram obrigadas a viver nas florestas antes da caça às bruxas);


5. Na bruxaria, o caldeirão tem uma simbologia própria: o princípio feminino, representando o útero, onde a humanidade era formada até seu nascimento. Havia uma associação interessante ao alimento (feito em um caldeirão) ao ser humano (gerado no útero);

6. No meio dos wiccas, o caldeirão é usado para queimar papéis, fazer agradecimentos, fazer orações;

7. O caldeirão, na bruxaria, também simboliza a vida, pois é nele que se prepara o alimento, e desta associação originou-se a lenda celta sobre o famoso Santo Graal, pois em inúmeros folclores europeus fala-se de caldeirões com poderes mágicos;

8. De acordo com a tradição das verdadeiras bruxas, um caldeirão genuíno deve possuir três pés, que simbolizam a donzela, ou a virgindade, a maternidade e a velhice;


9. Segundo os wiccas, o caldeirão está ligado ao elemento água, que denota uma influência psíquica e do inconsciente;

10. O caldeirão é o principal instrumento ritualístico utilizado pelos bruxos, simbolizando desde o útero universal, de onde tudo vem e para onde tudo retorna. Na prática é usado para transformar os feitiços através da queima de ervas, papéis, alimentos, líquidos e demais itens;

11. O caldeirão genuíno é preto e, geralmente, feito de ferro. Seu tamanho varia conforme com a utilidade e o tamanho da família (no caso do uso para alimentos);

12. Nos cultos wiccas, o caldeirão representa, quando posto em um altar, o elemento éter que une todos os outros elementos essenciais da natureza: água, ar, fogo e terra;


13. É interessante pontuar que durante a Idade Média era muito comum guardar utensílios menores no caldeirão, ou para esconder objetos valiosos para aquela família.