terça-feira, 23 de abril de 2013

Mitos, curiosidades, fatos e farsas (19)

Ao longo da história as sociedades passaram inúmeros mitos e curiosidades que foram – e ainda são – encarados como fatos. No entanto, não passam de folclores que escondem farsas incríveis e bastante inventivas. Vamos, então, descobrir um pouco delas? Voilà!

De onde vem a expressão “caramba”?!
É uma amenização de um palavrão e teve origem na Espanha. Assim nasceu a interjeição “poxa”, que veio do abrandamento espanhol de “puta”. O mesmo com “caramba”, que também tem em espanhol e veio da amenização de “carajo”.

Cavanhaque tem alguma coisa a ver com uma pessoa específica?
O general francês Louis Eugène Cavaignac (foto abaixo) era governador-geral da Argélia em 1848, quando se elegeu deputado, voltou a Paris e acabou designado ministro da Guerra. Sua barba diferente para a época acabou chamando a atenção das pessoas. O mais interessante é que só em português tem esse nome, cavanhaque. Na França eles preferem “barbiche”.


O parto do tipo cesariana tem alguma coisa a ver com Júlio César da Roma Antiga?
Não, não tem nada a ver. Reza a lenda que Júlio César teria nascido de um parto muito difícil e que foi preciso fazer uma abertura na barriga da sua mãe, e por isso esta modalidade de parto teria levado o seu nome. Na realidade, a primeira cesariana documentada ocorreu em 1610 e a mãe do bebê morreu vinte dias depois porque não aguentou tamanha dor e falta de higiene na época. O nome “cesariana” vem do latim que significa “cortar”, e nada tem a ver com o governante de Roma.

“A cobra vai fumar”
Em 1943, foi instituída a Força Expedicionária Brasileira cujo objetivo era lutar na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. A insígnia da FEB era uma cobra fumando um cachimbo e, atualmente, muitas pessoas sequer imaginam que há muita história nisso. O desenho foi uma resposta a um repórter que disse ser mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil entrar naquela guerra.


Por que uma agremiação de samba chama-se “escola de samba”?
A primeira escola de samba com este nome foi a Deixa Falar, fundada no Rio em 1928. Foi chamada de “escola” por vários motivos: porque ficava perto de uma escola pública, para dar respeitabilidade ao empreendimento, porque os fundadores acreditavam que ali ensinariam a verdadeira arte do samba.

Como nasceu a expressão “esculhambar”?
Há duas versões para a palavra: (1) tem origem em colhões, o saco escrotal. Assim, quando eles ficavam feridos de tanto andar a cavalo, eles ficariam esculhambados; (2) teria vindo da expressão italiana “sculambiar”, que era dar palmadas nas nádegas.

De onde vem a expressão “etc”?
Trata-se da abreviação da expressão latina “et caetera”, que seria “e o restante”, “e os demais”. De acordo com a norma da língua, não é preciso colocar reticências (...) depois do “etc” porque a própria expressão já embute essa ideia de que a lógica da frase permanece quase infinitamente.

Como nasceu a expressão “favela” para se referir aos bairros pobres?
No final do século 19, o governo brasileiro, já como república, deu cabo da comunidade religiosa de Canudos, no interior do Bahia. Por lá, as tropas ficaram instaladas em um morro cheio de uma árvore conhecida como favela (foto abaixo). Quando voltaram para o Rio, vitoriosos, o governo prometeu a eles um terreno para que pudessem construir suas casas. Cansados de promessas vãs, os soldados pegaram tábuas e construíram casebres no Morro da Providência, no Centro do Rio de Janeiro, e começaram a chamá-lo de “favela”, por conta da semelhança com o morro lá de Canudos. Com o tempo, os bairros com habitações pobres passaram a ser chamados, no Brasil, de favelas.