terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Apontamentos interessantes e curiosidades sobre o Halloween, o dia das bruxas...

O dia das bruxas é um evento que todos nós temos conhecimento. Entretanto, faz parte do folclore inglês e que ganhou força como uma importante festa nos Estados Unidos. É uma celebração dos antigos povos do Reino Unido e da Irlanda, modificado sensivelmente conforme essas sociedades se cristianizaram na Idade Média. Hoje vamos descobrir algumas coisas sobre esta data.


1. Entre o pôr do sol do dia 31 de outubro e 1º de novembro ocorria a noite sagrada, “hollow evening” em inglês, acredita-se que assim nasceu o termo Holloween. Nos países de língua portuguesa surgiu a tradução, que é totalmente errada, “dia das bruxas”;

2. A relação da comemoração desta data com as bruxas propriamente ditas teria começado na Idade Média no seguimento das perseguições incitadas por líderes políticos e religiosos, sendo conduzidos julgamentos pela Inquisição, com o intuito de condenar os homens ou mulheres que fossem considerados curandeiros e pagãos. Quem praticasse a festa celta da noite sagrada era denominado bruxo;

3. De acordo com os historiadores, a festa do Holloween teria nascido onde hoje está o Reino Unido por volta de 600 antes de Cristo. Originalmente não havia relações com bruxarias e seres de outro mundo até por volta de 1480. A origem é a festa pagã de Shamhain, que em irlandês significa “fim do verão”;

4. De acordo com os historiadores, o Holloween é uma mistura da festa celta pagã de Samhain e a celebração latino-cristã de Todos os Santos. Na primeira, celebrava-se o fim do verão e esperava-se o frio do inverno, entretanto pouco se sabe, de certeza, sobre a religião dos druidas;

5. Outro possível surgimento do Holloween é a festa de todos os santos, surgida na Síria por volta do século V da nossa era. No ano de 840 ela passou a ser uma grande festa católica com vigília e orações, chegando à Inglaterra recém-cristianizada sob o nome “hollow evening”;

6. De modo geral, hoje é um consenso folclórico de que o “dia das bruxas” seja uma mescla destas duas tradições europeias e que acabou se transformando em um terceiro fator a partir do século 19, a partir da forte onda imigratória de irlandeses rumo aos Estados Unidos;


7. O ato de vestir fantasias durante o Halloween nasceu na França do século 16, quando as pessoas vestiam-se de fantasmas durante o Dia de Finados, em 02 de novembro, brincando que eram os parentes retornando do túmulo. É estranho pensar uma prática burlesca como esta em um tempo cuja mentalidade era tão assombrada por demônios;

8. Possivelmente, a tradição de pedir um doce, sob ameaça de fazer uma travessura teve origem na Inglaterra, no período da perseguição protestante contra os católicos. Nesse período, os católicos ingleses foram privados dos seus direitos legais e não podiam exercer nenhum cargo público. Além disso, foram infligidas multas, altos impostos e até mesmo a prisão. Celebrar a missa era passível da pena capital e centenas de sacerdotes foram martirizados. Produto dessa perseguição foi a tentativa de atentado contra o rei protestante Jorge I. O plano era fazer explodir o Parlamento, matando o rei, e assim dar início a um levante dos católicos oprimidos. A trama foi descoberta em 05 de novembro de 1605, quando um católico converso chamado Guy Fawkes foi apanhado guardando pólvora na sua casa, tendo sido enforcado logo em seguida. Em pouco tempo a data converteu-se numa grande festa na Inglaterra: muitos protestantes a celebravam usando máscaras e visitando as casas dos católicos para exigir deles cerveja e pastéis, dizendo “Trick or treat” (“doce ou travessura”). Mais tarde, a comemoração do dia de Guy Fawkes chegou à América trazida pelos primeiros colonos, que a transferiram para o dia 31 de outubro, unindo a com a festa do Halloween. Vemos, portanto, que a atual festa do Halloween é produto da mescla de muitas tradições, trazidas pelos colonos para os Estados Unidos;


9. A celebração do 31 de outubro, muito possivelmente em virtude da sua origem como festa dos druidas, vem sendo ultimamente promovida por diversos grupos neo-pagãos, e em alguns casos assume o caráter de celebração ocultista. Aliás, este tem sido o objetivo dos grupos wiccas há bastante tempo: reconfigurar o Halloween como uma festa totalmente pagã, o que nunca foi verdade;

10. As lanternas de abóboras, chamadas de “Jack O’Lantern”, têm sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último gole e pede ao diabo que se transforme em uma moeda. O diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo. No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore. Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de uma abóbora para que dure mais tempo e sai perambulando. Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O’Lantern (Jack da Lanterna).


11. Dizer que as bruxas têm papel importante no Halloween é um tremendo erro. Como já dissemos anteriormente, a associação foi feita séculos mais tarde, durante a Inquisição, e após a reformulação da celebração nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos, a crença em bruxas ganhou força por três motivos principais: (1) as acusações de bruxaria pelos presbiterianos (vide o caso de Salem); (2) as práticas de feitiçaria promovida pelos índios do oeste; (3) o horror que os protestantes americanos tinham ao verem as celebrações de ritos africanos dos escravos do sul do país;

12. O gato preto passou a ser associado à bruxaria na Europa do século 17, quando diziam que gatos eram espíritos de pessoas mortas e que bruxas poderiam controlá-los para fazer mal aos outros. Foi assim que o gato preto também passou a significar um sinal de azar quando cruza o seu caminho. Foi assim, também, que nasceu o maniqueísmo entre o cão (símbolo de fidelidade) e o gato (símbolo de maldades, avareza, doenças);


No geral, podemos afirmar que o “dia das bruxas” é uma mistura de várias tradições diferentes, de lugares diferentes, de tempos diferentes, que desembocaram na cultura americana contemporânea. Uma festa pagã muito provavelmente cristianizada – como o Natal –, o Halloween oferece uma boa pesquisa de fundo antropológico e folclórico. A festa se tornou o que vemos hoje em filmes e séries norte-americanos porque, assim como o Brasil, os Estados Unidos são um caldeirão fervoroso de várias culturas que se misturaram, havendo vários países dentro de um só.