sábado, 17 de novembro de 2012

Mitos, curiosidades, fatos e farsas (13)

Ao longo da história as sociedades passaram inúmeros mitos e curiosidades que foram – e ainda são – encarados como fatos. No entanto, não passam de folclores que escondem farsas incríveis e bastante inventivas. Vamos, então, descobrir um pouco delas? Voilà!

Você sabe como surgiu a mão do trânsito?
Pelo menos no Brasil tudo começou com a confusão de carruagens na cidade do Rio do século 19. Em 1847, o governo da cidade expediu uma lei indicando a orientação de direção das carruagens e, com isso, foram instaladas nas esquinas grandes placas com um dedo apontando qual a direção a rua seguia. Foi assim que surgiu a expressão “mão do trânsito” e “contra-mão”.


A palavra “matrícula” tem alguma coisa a ver com mãe?
Tem sim. Em latim, a palavra “mater” gerou “mãe” em português, mas também “matrix”, que também em nosso idioma gerou “matriz”. Na verdade, “matrícula” é o diminutivo de “matrix”, que significava o registro documental daquela matriz em especial.

Meia-tigela...
Dizer que alguém é de meia-tigela significa que ela não é só incompetente, bem como tem pouco valor e esmero. Tudo começou no século 19, quando a corte portuguesa chegou ao Rio de Janeiro. Os cortesãos que não moravam na Quinta da Boa Vista eram alimentados no “local de trabalho”. No entanto, tudo seguia regras bem estabelecidas segundo o protocolo real e a refeição dependia do valor do trabalho do indivíduo dentro da corte. Assim, havia pessoas que comiam tigela inteira e outras que comia só metade da tigela, os trabalhadores mais ralés da corte joanina.

O que a montanha-russa tem a ver com a Rússia?
Tudo começou na França, que exportou a ideia da Alemanha – lá se chama “Rutschenberg”, ou seja, “montanha escorregadia”. A brincadeira começou há muitos séculos nas montanhas geladas da Rússia czarista; as crianças entravam em trenós e desciam as colinas no incrível sobe e desce. No século 18, surgiu a primeira montanha-russa com rodas, em São Petersburgo, para que todos continuassem brincando até mesmo no verão. A primeira montanha-russa inaugurada fora da Rússia, com rodinhas e sobe e desce, foi inaugurada em Paris em 1816.


O que o morcego tem a ver com os ratos?
Diz a lenda no interior do Brasil que os morcegos são ratos que ficaram velhos e passam por uma metamorfose criando asas. Essa ideia não foi criada aqui, mas na Europa há muitos séculos, pois “morcego” vem do latim “mur” (rato) + cego. Em francês o morcego chama-se “chauvessouris”, ou seja, “rato careca”.

Qual a origem do motel?
Os motéis tiveram origem nos Estados Unidos, mas seu uso por lá é bem diferente do uso por aqui. “Motel” é uma corruptela de “motor hotel”, um hotel barato e simples à beira das estradas para motoristas descansarem. É comum vermos vários deles em filmes de Hollywood. No Brasil eles também se instalaram em beiras de estradas, mas com o uso rápido para encontros amorosos furtivos, com diária de quatro horas, em média. Nos Estados Unidos cobra-se o pernoite.

O que os nossos músculos têm a ver com os ratos?
A palavra vem do latim “musculu”, que significa “ratinho”. “Mus” é “rato” em latim. Esse duplo sentido veio da Grécia, onde “myós” significava tanto rato quanto o músculo. Daí veio em português “miocárdio”, o músculo do coração. Em razão dos seus movimentos rápidos de contração e distensão é que o músculo acabou associado ao rato.

Natal...
A origem da palavra vem do latim “natale”, forma reduzida de “natale dies”, ou “dia do nascimento”. Em inglês, “Christmas” veio da junção “Christ” (Cristo) e “Mass” (Festa da eucaristia). É por isso que a palavra “Natal” não tem nada a ver propriamente com Jesus Cristo, significa gramaticalmente somente a data de nascimento. Na Roma Antiga, todo mundo tinha seu “dia de natal”.