sábado, 10 de novembro de 2012

Chemtrail: teoria da conspiração ou um fato que pode causar preocupação?

Quem mora no Rio de Janeiro conhece bem aquela história: quando se é criança e vê uma trilha de nuvens no céu, sempre associa a uma instituição bem bacana, dizendo: “Olha, a Esquadrilha da Fumaça passou ali”. Nem sempre realmente é a Esquadrilha da Fumaça, pois ela só realiza voos em comemorações públicas durante seus shows incríveis. Quase todos os aviões deixam para trás aquela trilha que parece uma nuvem.



Entretanto, há quem diga que essas nuvens têm um sentido muito maior do que podemos supor. Para a teoria da conspiração, o nome disso é chemtrail – do inglês “chemical trail”, ou “trilha química”. Quem crê nisso sustenta que os rastros deixados por alguns aviões são, na verdade, agentes químicos ou biológicos, deliberadamente pulverizados a grandes altitudes, com propósitos que seriam desconhecidos do público e causando danos à saúde e à agricultura.

A teoria da chemtrail ganhou força com a internet, mas ela existe desde o início dos anos 80, quando ainda convivíamos com a Guerra Fria, o embate ideológico e político entre as duas grandes potências da época, Estados Unidos e União Soviética. De acordo com alguns sites, a atividade da chemtrail é coordenada por setores de alguns governos, principalmente o norte-americano e o israelense; eles citam o documento “Weather as a force multiplier: owning the weather in 2025”, sugerindo que algumas potências estariam conduzindo experimentos secretos de mudanças climáticas. De fato, esse documento fazia parte de um trabalho acadêmico que consistia em delinear uma estratégia de uso de um futuro sistema de mudança do tempo, com objetivos militares.

Além da mudança climática em si, os crédulos desta teoria da conspiração apontam que a chemtrail também teria o objetivo de prejudicar a agricultura em algumas partes do planeta, principalmente entre inimigos públicos de determinados países. Desta forma, aviões secretos despejariam agentes químicos e biológicos nas plantações que provocariam dois efeitos: (1) perda da safra e da colheita, ou (2) doenças bem graves na população que consumisse esses gêneros contaminados.



A existência das chemtrails tem sido repetidamente negada pelos governos e pelos cientistas mais renomados de todo mundo, alegando que esta é uma teoria sem nenhum crédito e embasamento. A Força Aérea dos Estados Unidos nem mesmo se preocupa em dar declarações sobre essas acusações, alegando ser total perda de tempo. Departamentos de meio ambiente da Inglaterra e do Canadá já vieram a público explicar que os rastros químicos são fantasia, lenda urbana.

Apesar do status de lenda urbana e teoria da conspiração em cima das chemtrails, muitos estrategistas de guerra apontam que esta pode ser uma das táticas usadas numa guerra de enormes proporções, uma vez que demanda pouco uso de pessoal e a economia de dinheiro é grande.




No geral, podemos afirmar que os rastros químicos com objetivos específicos de guerra química ou biológica são teoria da conspiração sem embasamento, frutos ainda bastante vivos dos tempos em que nossos pais e avós viviam em uma eterna psicose de uma Terceira Guerra Mundial, quando as duas maiores potências faziam de tudo para superar a outra e descobrir o que a outra estava fazendo nesse meio caminho. Pesando na balança da racionalidade, as chemtrails são farsas.