sábado, 22 de setembro de 2012

Monstro do Lago Ness, a maior “personalidade” da Escócia...

Lago Ness – no idioma local Loch Ness –, na Escócia, acredita-se ser o local onde habita um monstro de que se fala, com graus variáveis de credibilidade, há pelo menos 1400 anos. O lago, que é a maior extensão de água doce da Grã-Bretanha, apresenta um aspecto sinistro, mesmo quando o sol brilha sobre as suas águas sombrias e turvas. A profundidade média é de 270 metros, o que poderia cobrir muitos prédios bem altos das grandes cidades.



Não são menos fantásticas algumas das descrições do tal monstro. A mais antiga data de 566 d.C., quando teria sido visto por São Columba. De acordo com esse relato, o tal bicho surgiu da água e emitiu um enorme rugido com a boca escancarada. Depois disso há algumas raras aparições no Lago Ness. Na realidade, só em 1933, decorridos quatorzes séculos, surgiu uma descrição clara do monstro, facultada por um cirurgião londrino que, ao passar de automóvel, durante as férias, obteve a primeira foto daquele, tirada a uns 200 metros de distância, que reproduzia o que parecia ser um longo pescoço.


Essa foto acabou sendo publicada nos principais jornais do mundo e causou o maior abalo científico. Uns ficaram entusiasmados em começar uma caçada, outros se mantiveram céticos e pediram calma e mais análises, alegando que poderia ser um galho podre na água. O fato é que desde os anos 1930, o Lago Ness deixou de ser somente um ponto misterioso do folclore escocês e acabou virando ponto turístico relacionado ao misticismo e ao sobrenatural; desde então, várias pessoas dizem ter visto algo descrito como “estranho”, mas nada foi comprovado.

Enquanto a ciência deixa de lado a discussão, as pessoas permanecem afirmando terem visto o monstro, como é o caso de um guarda florestal que, em 1951, alega ter visto um corpo enorme na água, subindo e descendo do leito do lago. Desesperado, buscou um amigo para servir de testemunha a fim de que não fosse taxado como louco.


Diante de tantos avistamentos, a polícia local decidiu iniciar uma investigação no lago em 1961. Foram reunidos depoimentos imensos, fotos, arquivos de vídeos etc. Até a Marinha Britânica auxiliou com pequenos submarinos nas águas turvas. Entretanto, o possível animal manteve-se oculto e o caso foi encerrado sem nenhuma conclusão. Adeptos das teorias de total conspiração dizem que o governo, sim, teria descoberto algo relacionado a alienígenas e cruzamentos bizarros, ou até mesmo uma espécie de dinossauro que sobreviveu ao cataclismo que devastou a espécie, mas isso tudo é especulação.

Até os dias de hoje há as investigações independentes. Cientistas não costumam falar abertamente sobre o monstro do Lago Ness, dizendo ser folclore, mas nunca explicam os avistamentos que duram quase 1500 anos.