quarta-feira, 2 de maio de 2012

Um pouco sobre a Ordem Rosacruz...

A Ordem Rosacruz passou a ser conhecida a partir do século 17, através de seus manifestos de cunho esotérico; alguns acreditam que os fundamentos dela sejam bem mais antigos, do início do Renascimento Italiano – no século 14; já outros historiadores creem que a Rosacruz tenha se formado a partir do pensamento de reforma protestante na Alemanha. Há boatos demais e conclusões de menos.


Histórias e lendas...
Segundo uma lenda da Europa, a Rosacruz foi fundada pelo alemão Christian Rosenkreuz, no início da década de 1400. Ele teria viajado o mundo conhecendo algumas artes ocultas e a alquimia. A partir dessa data, a ordem foi fundada, cresceu e se espalhou pelo mundo. Porém, Christian Rosenkreuz é apenas um nome simbólico, que guarda alguns folclores. Seu nome tem paralelo com Cristo; Rosen com Rosa; e Kreuz, Cruz. Já uma outra lenda aponta que a Rosacruz teria sido fundada há muitos séculos em Alexandria, por volta do ano 46 d.C. quando alguns sábios foram convertidos aos cristianismo e teriam ensinado aos missionários seus saberes ocultos. A existência real de Christian Rosenkreuz divide certos grupos de rosacrucianos. Alguns a aceitam, outros o veem como um pseudônimo usado por personagens realmente históricos, como Francis Bacon, por exemplo.

A primeira informação conhecida publicamente, acerca da Ordem Rosacruz encontra-se nos três documentos denominados “Manifestos Rosacruz”, o primeiro dos quais foi publicado em Kassel, na Alemanha, em 1614. Os outros dois documentos foram: “Confissões da fraternidade Rosacruz”, de 1615, publicado também em Kassel, e “Núpcias alquímicas de Christian Rozenkreuz”, de 1616, publicado em Estrasburgo.

A publicação destes textos provocou imensa excitação por toda a Europa, provocando inúmeras reedições e a circulação de diversos panfletos relacionados com os textos, embora os divulgadores de tais panfletos pouco ou nada soubessem sobre as reais intenções dos autores originais. Os textos mostravam a necessidade de reforma da sociedade humana, a nível religioso e sócio-cultural, e sobre a forma de atingir esse objetivo através de uma sociedade secreta que promoveria essa mudança no mundo.


Tradições, influências...
Os primeiros seguidores foram, geralmente, médicos, alquimistas, naturalistas, boticários, adivinhos, filósofos e homens das artes acusados muitas vezes de charlatanismo e heresia. Tradicionalmente, os rosacruzes se dizem herdeiros de tradições antigas que remontam à alquimia medieval. Alguns historiadores apontam que, junto da maçonaria, a Rosacruz tenta forçar um historicismo que não existe: querer ser mais antiga do que é, fingir tradições que não carrega; mas isso não vem de agora, mas sim do século 17.

É também interessante notar que muito da Ordem Rosacruz não tem nada de ocultismo, mas de política religiosa a partir da Reforma na Alemanha. A grande maioria dos personagens relacionados se originou do meio luterano alemão. É de se notar que o próprio Lutero foi um dos primeiros a utilizar uma “rosa-cruz” como símbolo de sua teologia. Alguns estudiosos dizem que a ordem foi, tão-somente, usada para alavancar as acusações contra o catolicismo.