quarta-feira, 28 de março de 2012

Descobrindo as fronteiras do Sistema Solar: o programa Voyager

Uma das maiores dúvidas do ser humano é: estamos sozinhos no universo? Bem, é uma pergunta que talvez nunca teremos resposta, uma vez que temos dimensões mais do que gigantescas do espaço sideral. A estrela mais próxima de nós está a quatro anos-luz, ou seja, se acendermos um interruptor aqui na Terra, a lâmpada nessa estrela vai se acender somente daqui a quatro anos.

Hoje vou falar sobre o programa de pesquisa espacial da Nasa inciado em 1977: Voyager, lançado em duas missões, com o objetivo inicial de estudar os planetas Júpiter e Saturno e suas respectivas luas; depois foi ampliado a Urano, Netuno e Plutão. Em 1991 o programa já havia atingido seus objetivos e foi designado a explorar o espaço fora do nosso Sistema Solar. Entre 2004 e 2007 as Voyager saíram da heliosfera e entraram numa área de fronteira entre nosso sistema e o espaço interestelar.


As sondas do programa viajam a uma velocidade média de 17 quilômetros por segundo. De acordo com a Nasa, daqui a 40 mil anos elas continuarão viajando pelo espaço e enviarão sinais para um planeta Terra já sem a presença de seres humanos. Há um site que é possível receber esses sinais, e você pode conhecê-lo clicando aqui. É simplesmente fascinante!

O mais interessante é que apesar de silenciosas e praticamente perdidas no universo, as Voyager também têm uma missão bonita: contar a história da humanidade. Caso um dia encontre uma civilização avançada como a nossa, as sondas contêm um disco (foto abaixo) com várias informações: a localização da Terra, mapas do nosso Sistema Solar, cerca de 120 fotos do nosso planeta, saudações em 55 idiomas, músicas de diversas culturas, uma explicação imagética de como é o ser humano e sons de carros, de trovões, cantos de pássaros etc.


Para manter contanto com as Voyager, existe o Deep Space Network (DSN), um complexo de antenas que mantém comunicação com as sondas. A comunicação é constante por 24 horas por dia, e tem centros de coleta de dados em três lugares, com uma equipe de profissionais dedicados, que hoje está reduzida a 15 pessoas. A quantidade de dados enviados até hoje pelas duas Voyager equivale a seis mil enciclopédias!

De acordo com a Nasa, as sondas Voyager já percorreram mais de 15 bilhões de quilômetros. Os sinais enviados por elas demoram cerca de 12 horas para chegarem até nós. Elas são os primeiros objetos construídos pelo Homem a percorrer uma distância tão longa Em 15 bilhões de quilômetros, está monitorando um espaço interestelar desconhecido pela humanidade. Estima-se que possa se libertar em breve da influência da gravidade do Sol, e em 2020 poderá perder a comunicação com a Terra.