sábado, 18 de fevereiro de 2012

O grande mistério contemporâneo: a Área 51

A Área 51 é uma base militar localizada no Deserto de Nevada, às margens do Lago Groom, nos Estados Unidos. É um local que habita o imaginário contemporâneo das pessoas: engenheiros aeronáuticos, historiadores, jornalistas, ufólogos, astrônomos etc. É um local tão secreto que o governo norte-americano só admitiu sua existência em 1994, quase 50 anos depois das atividades oficiais no lugar. É muito provável que seja uma das bases de testes aéreos mais sigilosas. Como por exemplo, é considerado que o avião invisível ao radar F-117 foi desenvolvido nesta base. Alguns grupos afirmam que lá há guardados, em pesquisas, Ovnis capturados e espécies alienígenas.


A história da Área 51 surgiu há muitos anos, a partir do acidente em Roswell. Recentemente escrevi um post sobre isso, e você pode acessá-lo clicando aqui. A localidade da referida Área virou folclore nacional nos Estados Unidos; foram escritos vários livros e produzidos inúmeros documentários – alguns bastante bizarros, com gravíssimas teorias da conspiração. O acesso é bem restrito e nos arredores das cercas elétricas há câmeras de vigilância permanente, como na foto abaixo:


A Área 51 é uma área de aproximadamente 1.550 km². Só depois do Google Earth que muitos mistérios foram solucionados. Trata-se, aparentemente, de uma base aérea militar muito grande, cujas construções estão a todo vapor a todo instante. Impressionante que essas imagens nunca foram censuradas. (Para ver a Área 51 no Google Earth, copie e cole as seguintes coordenadas: 37.235, -115.811111).



A Área 51 também faz fronteira com o Local de Testes de Nevada (NTS), onde nos anos 40 e 50 eram feitos os testes nucleares. É por isso que muitos cientistas céticos creem que a base seja tão-somente um lugar de pesquisas de novas armas, fruto da Guerra Fria, nada além de folclore em relação a aliens aprisionados em jaulas e Ovnis desmontados. Atualmente, muitos ex-oficiais dão entrevistas a documentários sensacionalistas de canais ditos científicos que alimentam as teorias de conspiração: “Tudo o que eu disse não reflete 10% do que realmente ocorre lá dentro”, contou um desses há poucos meses em um programa que foi ao ar no National Geographic Channel.

A base teve sua existência admitida apenas em 1994, entretanto, não é única base secreta estadunidense, existem outras ainda não admitidas pelo governo norte-americano, por questões de Estado, mas é uma das principais áreas de pesquisas de armas nucleares, bacteriológicas, químicas, hidrogênicas entre outras.

Algumas das certezas já divulgadas...
Possuiu uma série de bunkers enormes, capazes de suportar os piores cataclismos atômicos; leitores de impressões e biométricos avançadíssimos para evitar espiões; todo o controle é feito por seis computadores ultramodernos que não estão acessados à internet, cujo acesso é feito por somente seis homens. Grande parte do acervo é composto de veículos militares: aviões, helicópteros, jipes, tanques etc. A maior parte do complexo militar está abaixo da terra, a cerca de 40 metros de profundidade.

Há algumas dúvidas de que na Área 51 também estariam abrigadas algumas bombas de destruição de massa, mas especialistas apontam que isso pode não ser verdade. Com a fama do local como laboratório secreto, seria um risco manter essas armas destrutivas lá, uma vez que durante a Guerra Fria poderia ser um dos primeiros lugares a serem atacados pelos soviéticos.


O lote de conspirações por detrás...
Há inúmeras conspirações, sobre a Área 51. A principal teoria fala em laboratórios que estudam aeronaves e seres de outros planetas; a falta de esclarecimentos do governo norte-americano só ajuda a manter o folclore do real uso da base. De acordo com muitos ufólogos, não há nada de alienígena ali, apenas testes militares inconvencionais – principalmente durante a Guerra Fria.

Essa história é bastante plausível, uma vez que várias aeronaves militares anteriormente ultrasecretas foram desenvolvidas lá: o F-117 Nightawk (caça “invisível” a radares – portanto um Ovni), o Stealth B2 (avião mais caro da história), o A-12 (avião secreto que sobrevoava a União Soviética), entre outros tantos. E essa atividade militar de pesquisa e desenvolvimento continua a todo vapor.




Tecnologia alien na Área 51...
Desde o estabelecimento da Área 51, algumas pessoas declararam ter visto estranhos objetos sobrevoando seu espaço aéreo e arredores, mas as autoridades sempre negaram os fatos. Contudo, um de seus próprios funcionários declarou que na base, além de projetos militares avançados que usam tecnologia alienígena ativamente, discos voadores genuinamente extraterrestres também seriam objetos de estudo de engenharia. As naves, resgatadas intactas ou em acidentes, eram consertadas ou reconstruídas e depois submetidas à prova por pilotos de testes. Foi o próprio físico Robert Bob Lazar quem fez tal afirmação, sendo seguido por vários outros ex-funcionários.

Lazar informou que o governo norte-americano estava pesquisando nove discos voadores na Área 51, e tentava adaptar sua tecnologia em projetos terrestres. Por suas declarações, ele e sua mulher receberam várias ameaças de morte. Disse ainda que há um lugar secreto no interior da Área 51, conhecido como S-4, onde as naves alienígenas eram guardadas.



Atualmente...
A Área 51 invadiu o imaginário popular e tem sido tema de séries, filmes, documentários, desenhos animados, livros etc. A área nos arredores da base tem sido periodicamente visitada por ufólogos, astrônomos, engenheiros e demais turistas curiosos que seguem em direção a Las Vegas, destino mais próximo da base; muitos dos trabalhadores da Área 51 vivem nessa cidade, e diariamente vários voos com aviões comerciais de propriedade do Governo Americano seguem para a base levando os trabalhadores.

O fato é que sempre ficaremos na aura da dúvida, entre a teoria da conspiração e a verdade propriamente dita. A nossa geração verdadeiramente nunca saberá o que ocorre dentro daquelas bases, hangares e possíveis complexos subterrâneos. Resta-nos seguir dois caminhos: o da conspiração, ou o do ceticismo.