sábado, 24 de dezembro de 2011

A negação da existência de marcianos...

Recentemente, publiquei um post falando sobre os canais de Marte e a teoria proposta pelo astrônomo americano Percival Lowell, que afirmava terem sido construídos artificialmente por seres inteligentes que viveram no planeta vermelho. Essa teoria foi bem aceita entre quem acredita nos homens verdes do planeta vizinho. Os canais marcianos e o famoso rosto na rocha ainda são controversos. Clicando aqui, você relê o post a que me refiro.


As teorias de Lowell contribuíram para a idealização do quadro fascinante de um mundo onde existia uma raça altamente culta, vivendo em paz e trabalhando na execução de projetos que permitissem a conservação de água. Essas teorias encontraram, porém, oposição. Especialistas dizem que as calotas polares marcianas são muito finas (talvez não passando mais do que meio metro de altura), o que dificultaria ser uma vasta fonte de irrigação que cobrisse todo o planeta. Além disso, outros especialistas apontaram que os tais canais eram apenas formações naturais.

As pesquisas realizadas nas últimas décadas anularam quase totalmente a suposição de vida inteligente em Marte. Os canais são apenas fissuras geológicas. As condições do planeta vermelho são mais agrestes para a vida orgânica, principalmente animal, do que o Saara ou a Antártica. Recentemente escrevi um outro post sobre as pesquisas de exobiologia, que é o estudo que busca vida microscópica em outras partes do universo; clique aqui e leia.


Marte tem uma atmosfera muito fina e frágil, bastante rarefeita, cheia de dióxido de carbono. Por causa da distância, o Sol é menor e o calor não é suficiente para aquecer os seres que lá porventura um dia existiram. O dia marciano tem meia hora a mais que o nosso, mas o ano é bem maior: 23 meses terrestres. A gravidade também é bem menor que a nossa: 1kg na Terra seriam uns 400 gramas em Marte.

O planeta vermelho é bastante inóspito à vida, mesmo com a ideia de canais, pirâmides e templos. A probabilidade é pequena à vida microscópica, mas essas chances são muito maiores quando pensamos nesses tais seres inteligentes.